Vou por onde a arte me levar.

Minha foto

'' GOSTO DE DEGUSTAR O GOSTO COM SABOR DE VIDA; COSTURO A VIDA PELA VIDA E A VIDA ME COSTURA, COSTURO DE DENTRO PARA FORA PARA ME ENCONTRAR COM O VENTO.''   

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

A Contestação Juvenil - Parte 6

" Para nós, trata-se de continuar a aceitar um mundo que fala de paz, mas que tolera a guerra, um mundo que fala de liberdade, mas que aceita as hipocrisias do capitalismo, que fala de progresso, mas que sofre a sufocação da burocracia comunista. " - Rudi Dutschke    As gerações do pós-guerra _ entre 1945 e 1955, aproximadamente _ foram denominadas " silenciosas " nos Estados Unidos e " céticas " na Europa.   Estas juventudes que com tanto ânimo e com tanta criatividade haviam imposto o seu otimismo antes da guerra, sentiram-se então cansadas e frustradas por terem participado como combatentes na terrível Segunda Guerra Mundial.    Após a Segunda Guerra Mundial, no Japão tanto como na frança ou na Alemanha, erguem-se vozes a favor da destruição definitiva das armas e do estabelecimento de uma compreensão internacional baseada no diálogo, na boa-vontade e na justiça.    no entanto, o surto pacifista duraria pouco: a chamada " guerra fria " sombreou de novo o panorama da convivência mundial.    Uma série de países constituiu-se em dois blocos ideologicamente antagônicos, o chamado " mundo livre " e o " comunista ", enquanto as nações " não alinhadas ", quer dizer, não aderentes às propostas socialistas nem às capitalistas, formaram um novo bloco, denominado a " Terceiro Mundo ", que inclui os países mais pobres da Terra.   A juventude das nações " ocidentais " - da Europa Ocidental, do Canadá, Estados Unidos, Austrália e Japão, principalmente - em breve se achou na situação contraditória de ter que viver em países com cujas linhas políticas dominantes estavam em desacordo.    O existencialismo francês é uma amostra sumamente acabada da tônica geral.   Inspirados pela filosofia de Jean Paul Sartre, os existencialistas eram ateus, lúcidos no sentido de entender o mundo como um enorme absurdo, individualistas e antiburgueses; suas " caves ", onde dançavam e bebiam, suas barbas, seu desalinho, suas canções, tudo indicava que lhes interessava mais salvarem-se a si mesmos que redimir a sociedade.   Para os jovens existencialistas, é mais importante a salvação pessoal que a redenção da sociedade.   O existencialismo atacava a fé e o compromisso com quaisquer ideais, pois considerava que tanto Deus como as virtudes são essências imutáveis e que só os objetos inanimados têm imutabilidade, enquanto que o característico do homem é o existencial, o vivo, a liberdade absoluta.   Assim se opunha à moral do Sistema, mais preocupada com as aparências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá querido (a) leitor, seu comentário é muito importante. Este espaço é seu. Lembre-se: Liberdade de expressão não é ofender. Vamos trocar ideias, as vezes podemos não concordar, é natural; afinal tudo depende da visão de cada um; mas respeitar é fundamental, isso é uma atitude inteligente. O que vale mesmo é a troca de informação e com educação. Por favor: Leia antes de fazer seu comentário, os comentários do blog são moderados, só publique comentários relacionados ao conteúdo do artigo, comentários anônimos não serão publicados, não coloque links de artigos de seu blog nos comentários, os comentários não refletem a opinião do autor. Espero que goste do blog, opine, comente, se expresse! Vale lembrar que a falta de educação não é aceito.