..

..

Vou por onde a arte me levar.

Minha foto

'' GOSTO DE DEGUSTAR O GOSTO COM SABOR DE VIDA; COSTURO A VIDA PELA VIDA E A VIDA ME COSTURA, COSTURO DE DENTRO PARA FORA PARA ME ENCONTRAR COM O VENTO.''  

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Sexo, drogas e Rolling Stones _ Historias da banda que se recusa a morrer _ parte 27 ( continuação )

17 de janeiro de 1949, o mais tecnico ( no momento estou sem o acento agudo ) e habilidoso dos guitarristas que atuaram ou que ainda atuam nos Rolling Stones, Mick Taylor traz como marca de sua guitarra o toque calcado no blues, mas sempre arejado por solos fluidos e melodiosos que sinalizam influências sonoras diversas, como em "" Time Waits For No One "" ( de sonoridade latina ) e "" Can T You Hear Me Knocking "" ( jazzistica ).     Nascido em Welwyn Garden City, Hertfordshire, Inglaterra, Michael Kevin Taylor começou a tocar violão aos 9 anos de idade.     Ainda adolescente, formou com colegas de escola a banda The Juniors que, em 1965, mudou de formação e de nome: virou The Gods.      A banda tambem incluia o futuro tecladista do Uriah Heep, Ken Hensley.     E 1966, Taylor substituiu outro Deus, o da guitarra, num show de John Mayall & The Bluesbreakers no The Hop, em Welwyn Garden City.     Como o guitarrista fixo da banda, Eric Clapton, não apareceu, Taylor, que ainda era um dos "" Deuses "", conversou com Mayall no intervalo da apresentação e acabou tocando todo o segundo set do show _ usando a guitarra de Clapton.     Mayall gostou tanto do guitarrista que no ano seguinte o chamou para a vaga deixada por Peter Green bos Bluesbreakers.

Nenhum comentário:

Postar um comentário