Vou por onde a arte me levar.

Minha foto

'' GOSTO DE DEGUSTAR O GOSTO COM SABOR DE VIDA; COSTURO A VIDA PELA VIDA E A VIDA ME COSTURA, COSTURO DE DENTRO PARA FORA PARA ME ENCONTRAR COM O VENTO.''   

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Artes Plásticas - Artes Industriais - Ourivesaria - Por Wladimir Alves de Souza - Parte 4

A denominação de indústria ligada às artes significa a destreza manual, o gosto ou capacidade de inventar do artesão na execução de um trabalho de arte.   Independente do conceito de produção puramente mecânica feita pela máquina para a fabricação em série.  Ourivesaria:  Arte essencialmente ligada às elites, pelo caráter precioso e raro das matérias-primas que emprega.    Tanto o ouro como a prata, e a partir do século 19, a platina, sempre foram símbolo de poder e de riqueza.    O ouro é conhecido pelo homem desde a descoberta dos metais.    Os egípcios o conheceram e utilizaram, tanto na ourivesaria de objetos rituais como na douração de sarcófagos e mobiliário do faraó.    Todos os povos antigos o conheceram.    Poucas peças de ourivesaria nos chegaram, dentre elas obras-primas de perfeição técnica, inclusive as moedas gregas.     Muita ourivesaria sacra foi conservada, desde as jóias, ourivesaria dos bizantinos.    Na basílica de São Marcos, em Veneza, a famosa " Pala d'oro " peça capital da ourivesaria medieval, com trabalhos de esmalte.   Uma das obras mais importantes do Renascimento é o famoso saleiro de ouro feito para francisco 1, rei da França, por Benvenuto Cellini ( século 16 ), que também foi um grande escultor.    É celebre a famosa custódia de Belém, que existe em Lisboa, feita por Gil Vicente com o primeiro ouro trazido das Índias por Vasco da Gama, no fim do século 15.    As minas na Antiguidade e na Idade Média eram raras e de produção limitada, de modo que só a partir do século 16, com a conquista do México e do Peru, é que os espanhóis puderam dispor dos tesouros dos Astecas e dos Incas, destruindo e fundindo peças admiráveis.   Mas foi principalmente a partir do começo do século18, com a descoberta do ouro no Brasil, em Minas Gerais, que o metal correu com abundância incrível.    Acrescente-se a isso a descoberta do diamante no Brasil, no Distrito Diamantino em Minas: Diamantina e serro Frio, rigorosamente controlado pelos portugueses , mas que não impediu totalmente o contrabando, tal como se passou com o ouro, isso fez a fortuna de Portugal, especialmente na época de D. João V ( 1699-1750 ), rei perdulário e que gastou quantias fabulosas com a construção do convento de Mafra, em Portugal, com a embaixada especial que mandou ao Papa, riquíssima, com carruagens douradas, chefiada pelo Marquês de Fronteira, levando enorme doação, a fim de obter o título de " Rey Fidelíssimo " e outros privilégios para a igreja de Portugal.      Isso entre outras prodigalidades.    Porém as minas se foram esgotando e nos meados dos séculos já havia descontentamento e motins na colônia, que tornou a situação cada vez mais difícil, até o final do século 18, quando o ouro brasileiro praticamente terminou.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá querido (a) leitor, seu comentário é muito importante. Este espaço é seu. Lembre-se: Liberdade de expressão não é ofender. Vamos trocar ideias, as vezes podemos não concordar, é natural; afinal tudo depende da visão de cada um; mas respeitar é fundamental, isso é uma atitude inteligente. O que vale mesmo é a troca de informação e com educação. Por favor: Leia antes de fazer seu comentário, os comentários do blog são moderados, só publique comentários relacionados ao conteúdo do artigo, comentários anônimos não serão publicados, não coloque links de artigos de seu blog nos comentários, os comentários não refletem a opinião do autor. Espero que goste do blog, opine, comente, se expresse! Vale lembrar que a falta de educação não é aceito.