..

..

Vou por onde a arte me levar.

Minha foto

'' GOSTO DE DEGUSTAR O GOSTO COM SABOR DE VIDA; COSTURO A VIDA PELA VIDA E A VIDA ME COSTURA, COSTURO DE DENTRO PARA FORA PARA ME ENCONTRAR COM O VENTO.''  

domingo, 7 de agosto de 2016

Artes Plásticas - Tapeçaria - Por Wladimir Alves de Souza - Parte 18

Embora baseada em técnica de tecelagem muito semelhante, a tapeçaria distingui-se do tapete pelo fato de que este é usado para guarnecer os pisos, em vez de a tapeçaria, pendurada, decorando as paredes.    Foram os europeus que criaram formas originais de tapeçaria, principalmente na França.    o O maior, mais antigo e mais belo conjunto que se conhece é a série do " Apocalipse ", do artista Nicolas Bataille ( 1394 ), que se encontra na França, no Museu de Angers.    Outra série célebre é da " Dama do Unicórnio " ( século XV ) que está parte no Museu de Cluny ( Paris ), parte nos Cloisters ( claustros ), em Nova Iorque.   Os grandes centros de tapeçaria foram, além da França ( Arras, Aubusson, Paris ) e em Flandres, que também receberam encomendas das cortes europeias.     Podemos citar a série  das tapeçarias imperiais, no Museu de Viena, feitas em Flandres e tecidas com ouro e prata ( século XV1 ).     E também as famosas tapeçarias de Pastrana, em Portugal.     Pouco a pouco a tapeçaria vai imitar a obra dos pintores.    O desenho era feito em papel, " cartão " colocado por trás do tear com a indicação das cores.    Rubens teve obras suas reproduzidas em tapeçaria ( século XV11 ), Lebrun desenhou cartões para Versailles e outros palácios reais de Luis X1V, já no século XV111, o século das graças e do Rococó, Boucher trabalhou muito para os tecelões franceses, bem como o grande Goya, na Espanha, que pintou os cartões para uma série de tapeçarias destinadas ao Palácio del Pardo, tecidas na Manufatura Real de Santa Isabel.    Gradativamente, a tapeçaria vai perdendo o seu grande prestígio e já no século X1X está totalmente decadente, sob o influxo do academismo.    Só no século XX é que Joan Lurçat faz reviver o processo, na base de composições modernas de grande esplendor.    É ele o renovador da tapeçaria, hoje usada pelos artistas como forma de expressão.    Lurçat esteve há alguns anos no Brasil e levou temas de nossa natureza que usou com rara felicidade.     Formou aqui um discípulo de talento: Genaro de Carvalho, na Bahia.     No Rio de Janeiro, na década de 40, a artista Madeleine Colaço introduziu uma técnica de tapetes e tapeçarias, inspirada em processos populares de Portugal: o Arraiolos: a tapeçaria em bordado sobre tela, oriunda principalmente do chamado " ponto de Arraiolos ".      Colaço criou um ponto próprio a que deu o nome de " ponto brasileiro ".      Isso estimulou numerosos artistas, utilizando uma temática abstrata ou de motivos figurativos brasileiros.    Foi executada no sentido de formas abstratas, partindo de elementos vegetais uma grande tapeçaria sobre cartão de Roberto Burle Marx, para o Palácio Itamaraty de Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário