x

x

Vou por onde a arte me levar.

Minha foto

'' GOSTO DE DEGUSTAR O GOSTO COM SABOR DE VIDA; COSTURO A VIDA PELA VIDA E A VIDA ME COSTURA, COSTURO DE DENTRO PARA FORA PARA ME ENCONTRAR COM O VENTO.''  

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Artes Plásticas - Pintura e Gravura japonesa - Por Wladimir Alves de Souza - Parte 27

A pintura, que decorou templos e palácios, só começou a ter um sentido popular através da gravura, no século XV11.    Formou-se uma arte para o homem comum.     Na gravura os temas explorados foram os atores ( pela importância  popular no teatro ), tipos populares de homens e mulheres, representações de uma vida alegre e feliz, na cidade e no campo, e, por fim, paisagens de um alto sentido poético.     A importância da gravura japonesa é enorme, pelo seu caráter popular, permitindo ao homem pobre ter uma obra de arte em sua humilde morada, mas, também, pela influência que exerceu sobre a arte ocidental, a partir do século X1X.     Na gravura dos artistas japoneses o que importa é o ritmo e a linha.     A ausência de sombras é total, não preocupa nem o relevo nem a perspectiva , absolutamente convencionais, donde a diferença da maneira de ver européia.    A técnica é complexa , mas o resultado final é da gravura colorida, em que colaboram o autor do desenho, o gravador e o impressor.    Os maiores gravadores orientais são: Kiyonobu, morto em 1726, Harunobu, Kiyonaga, Hiroshigê e Hokusai, talvez o maior de todos.    Nas artes decorativas, fora a gravura, os pintores executaram obras notáveis, especialmente através dos biombos em papel, às vezes sobre fundo folheado a ouro, com representação de figuras e cenas da natureza.    Há mesmo biombos que representam o desembarque de portugueses no Japão, no século XV11.    É preciso lembrar que Portugal chegou até aquelas terras longínquas, levando a evangelização pelos jesuítas, entre os quais a grande figura  de São francisco Xavier ( 1506-1552 ), morto na China, mas que fez no Japão uma grande obra.     Subitamente, o Japão fecha-se a toda e qualquer influência estrangeira.    Não permite mais nenhum desembarque, sob pena de morte.    Volta-se para si mesmo, para suas tradições, num mundo fechado.     Torna-se uma fortaleza.    A chegada de uma grande esquadra americana, em 1858, chefiada pelo Almirante Perry, pôs fim a esse isolamento.    O Japão teve de abrir seus portos às nações estrangeiras, mas, tal como se deu com os chineses - nos primeiros tempos - que apenas levaram sua cultura, os japoneses em relação aos ocidentais rapidamente refizeram-se, e em pouco tempo tornaram o Japão uma das grandes nações modernas.     O velho sangue guerreiro voltava a se manifestar.     Felizmente hoje, após a segunda Grande Guerra , o Japão é uma nação progressista, pacífica e integrada na civilização contemporânea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário